Submarino

quarta-feira, 6 de março de 2013

RIP, Chorão.

Morreu hoje um dos baluartes da música que restavam entre nós. Não foi um idiota que morreu. Não foi um sertanejo que fazia letras de "música" com monossílabos sem sentido. Não foi um funkeiro que cantava humilhações para as mulheres, tratando-as como vagabundas e objetos de luxúria. Não foi um malandro. Foi o Chorão. Um músico de verdade, um artista das palavras. Um conhecedor da pouca cultura que nos resta. Foi ele que nos deixou.
Alexandre Magno Abrão, cantor, compositor, cineasta, roteirista, poeta e empresário brasileiro. É tão bom quando se pode falar tudo isso de um brasileiro. É tão bom quando a palavra "brasileiro" está ligada à cultura verdadeira, e não à porcarias quaisquer.
Descanse em paz, Chorão. Os sensatos sentirão sua falta. Os roqueiros sentirão sua falta. Os poucos MÚSICOS que o Brasil tem sentirão sua falta. Descanse em paz...
 

Nenhum comentário: