Submarino

quinta-feira, 27 de abril de 2017

A morte do português

Uma publicação na internet falava de algum evento futuro, e alguém, em tom "jocoso", comentou dizendo que só acreditava se os Simpsons confirmassem... Aí começou o problema...

Algum maluco fanático religioso quis aproveitar a situação para "descer a lenha" nos Simpsons, já que para esse tipo de gente, tudo é do Diabo... mas o comentário foi tão mal escrito que virou piada. Transcrevo abaixo:


"Só acredito se os Simpsons confirmarem... essa mania nao existe para mim os tal de simpsons nao existe eles filho do diabo esse desenho simposons é diabólico nao acredito nesses caras as pessoas tambem nao deveriam acreditar em um desenho a que absurdo. que ;eu sabia tem que acreditar em deus; nao em homens e desenhos simpsons tudo burrice isso sim acreditar em previsoes deles a poxa to fora disso; confio em deus em primeiro lugar. nao sei se acredito so deus revelar aos servos fieis e verdadeiros filhos de deus"


Tentei reproduzir com a mesma "concordância e pontuação" com que o texto foi escrito.


Outro caso: Um comentário na avaliação de um jogo baixado na Play Store:


"Esse jogo eu instalei para meu irmão ... que ele pediu eu instalar esse jogo mas eu não queria pq teria que desinstalar o planet of cubes aí eu pensei 2 vezes e disse ponha o jogo que ele nem gosta mais o jogo que ele gosta claro que eu não ia desinstalar o jogo dele aí eu desinstalei o meu é eu gostei desse jogo também. Mas eu também gostei dele também."


Esses e outros textos são exemplos da maneira como as pessoas estão se "comunicando" atualmente. Eu pergunto: adianta tanta informação disponível estar ao nosso alcance? Adianta alguma coisa a "inclusão social e digital"? Os adolescentes e jovens não sabem ler, não sabem escrever, não sabem falar e muito menos compreender! Recebo todos os dias e-mails de pessoas que trabalham em empresas importantes, em setores importantes, mas escrevem seus e-mails de maneira tão pobre e errada que eu sinto vergonha alheia. O mínimo que o ser humano precisa saber é como se comunicar com seus semelhantes!

Por que é tão difícil deixar o facebook de lado e ler um bom livro? Por que é tão difícil ter um dicionário à mão quando não sabe como escrever uma palavra? E aquela velha Gramática jogada na gaveta? Não seria bom relembrar algumas regrinhas?

O mundo muda, a tecnologia avança, mas a verdade ainda é a mesma, quem quer aprender de verdade, dá seu jeito.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Voltando pra ca...deia

E o goleiro Bruno vai voltar para a prisão. A decisão saiu hoje, a liminar que deu liberdade ao goleiro foi revogada por três votos a um. Bruno foi condenado em 2013 a 22 anos e três meses de prisão pela morte de Eliza Samudio, que ocorreu em 2010.

O crime foi considerado homicídio triplamente qualificado, O advogado do goleiro informou que está "indignado" com a decisão. Estou tentando entender como o advogado de alguém que é culpado pela morte de uma mulher que foi estrangulada e teve seu corpo ocultado ainda consegue ficar indignado quando seu "cliente" é preso...

sexta-feira, 21 de abril de 2017

A Depressão e a Pressão dos Bancários

Trago hoje um resumo da reportagem da revista FENAE AGORA, Edição 87, de junho de 2016, que fala sobre assédio moral, isolamento social, depressão e suicídio. Muito interessante e necessário nesses tempos de angústia em que vivem os trabalhadores, pressionados por metas e chefes hostis, desvalorizados cada dia mais por seus empregadores, que querem apenas aumentar seus ganhos. 

"Qual o castigo maior para um mortal que ousou burlar a morte, do que ser condenado a passar a eternidade realizando um trabalho inútil, sem sentido e sem esperança? Foi assim que pensaram os deuses gregos ao condenarem Sísifo a empurrar uma pedra até o topo de uma montanha. A pedra, então, rolaria para baixo e ele teria que começar tudo de novo. Por toda a eternidade.
Alber Camus em seu livro "O Mito de Sísifo", escrito em 1947, compara a mitologia com a vida laboral moderna, operários que trabalham a vida toda, fazendo tarefas para as quais não vêem utilidade. Camus defende que esse destino é mais trágico ainda se o trabalhador não tem consciência disso. Pode levar ao desespero e à desistência da vida. A maneira para combater isso é a revolta, a discussão sobre a desumanização do trabalho.

O pesquisador Marcelo Augusto Finazzi defendeu sua tese de mestrado - intitulada "Patologia da solidão: o suicídio de bancários no contexto da nova organização do trabalho" - na UNB, na qual afirma que o assédio moral, o incentivo ao individualismo e à competição foram fatores determinantes na decisão dos pesquisados em tentar o suicídio.

A reestruturação econômica dos tempos modernos mudou a relação de trabalho dos bancários com seus colegas e com o próprio trabalho. O enxugamento, a eficiência a qualquer custo, a pressão por produtividade e as metas abusivas, sem falar nos chefes hostis que cobram jornadas de 10, 12 e até 15 horas por dia, criam um clima de 'ninguém é amigo de ninguém'.

Segundo dados do Ministério do Trabalho, entre 1993 e 2005 um bancário cometeu suicídio a cada 20 dias. O trabalhador passa a acreditar que ele é o problema, não percebendo mais que é o ambiente de trabalho que está oprimindo a ele e seus colegas.

São poucos os bancários que ainda não tomam antidepressivos e não estão sofrendo de síndrome do pânico, problemas psicológicos que acabam encontrando uma válvula de escape como doenças físicas, prejudicando a vida. E quando o desespero chega ao extremo, o trabalhador passa a contemplar o suicídio como uma opção convidativa. Triste realidade do capitalismo, da produção excessiva, dos lucros sem medida. Triste realidade das modernas relações de trabalho."


quarta-feira, 19 de abril de 2017

Enganos da Saúde Brasileira

Insulina em vez de vacina contra H1N1 em 2016. Vacina contra febre amarela em lugar de vacina contra H1N1 em 2017. O que está acontecendo?

Não devemos apontar um nome, achar que uma única pessoa é a responsável pelo erro. Afinal, não se conhecem as condições de trabalho da unidade de saúde onde se cometeu o engano. Não se sabe o tamanho da pressão ou cobrança pela qual os funcionários passam. A pressão induz à pressa, e a pressa induz ao erro.

São casos de enganos de medicação que prejudicaram várias pessoas. As mães que receberam a vacina contra febre amarela por engano terão que suspender a amamentação de seus filhos por pelo menos trinta dias. Talvez após esse período o bebê nem se adapte mais ao leite materno. É triste e complicado, mas é real.

O problema não é o engano em si, não é o funcionário, que as pessoas adoram chamar de incompetente, mesmo sendo às vezes menos competentes que ele... O problema é a SAÚDE NO BRASIL, que tem se tornado um grande engano. Todos os dias, os brasileiros DA CLASSE BAIXA sofrem com falta de médicos, falta de funcionários nos hospitais, falta de leitos. Tudo é um grande engano. As promessas dos governantes nunca são cumpridas. As metas nunca são atingidas.

As verbas para a saúde precisam chegar ao destino, e a gestão desses recursos precisa ser feita por gente disposta e honesta. Funcionários precisam ser contratados, médicos precisam ser bem pagos. Pacientes precisam ser valorizados e tratados como seres humanos que são, não como pedaços de carne. Quando isso acontecer, essas trocas de vacina, esses enganos triviais deixarão de existir.

domingo, 16 de abril de 2017

Coréia do Norte versus EUA

Aumentam as tensões entre Coréia do Norte e Estados Unidos. Kim Jong-un pretende realizar um teste com armas nucleares nos próximos dias, e os EUA já estudam uma resposta militar às provocações do ditador.

Os Estados Unidos estão contando com a China e a Coréia do Sul para enfrentar o ditador norte coreano, mas dessa vez, caso haja uma guerra, Kim Jong-un não vai perder a chance de atacar os EUA em casa. O ditador não tem escrúpulos nem limites, e Trump se arrisca muito ao resolver enfrentar a Coréia do Norte.

Milhares, talvez milhões de civis, estarão em risco de uma guerra nuclear. Que o mundo seja sensato, e que a diplomacia seja a melhor arma.

Kim Jong-un realizou um desfile militar ontem, na comemoração do Dia do Sol, demonstrando o poderio do exército e armamento norte coreano, fazendo deste evento uma ameaça ao mundo. O ser humano corrompe o poder, e esquece de que é passageiro. A vida do homem é um sopro, independente de quanto poder ele tenha em mãos.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

MOAB - A mãe de todas as bombas

Os militares americanos, os governantes americanos, os parlamentares americanos, todos gostam de vangloriar-se por possuir a melhor arma, a melhor munição, a melhor tecnologia, a maior bomba, isso deve ser pra compensar alguma outra coisa... 

E hoje no Afeganistão eles lançaram uma bomba chamada GBU-43B Massive Ordnance Air Blast - MOAB. Sua sigla também combina com Mother of all bombs, mãe de todas as bombas.

Essa bomba pesa 9,8 toneladas, uma explosão equivalente a 11 toneladas de TNT e perde apenas para as bombas nucleares. Foi testada pela primeira vez em 2003 na Flórida, e hoje foi lançada sobre um sistema de túneis e cavernas - assim espero - utilizado pelos soldados do Estado Islâmico.

Esperamos que os militares americanos não tenham errado o alvo, como "acontece às vezes", e não tenham matado civis que nada têm a ver com a guerra e que nada devem ao ISIS e muito menos aos americanos.

Foto CNN

terça-feira, 11 de abril de 2017

A guerra na Síria

O ataque com armas químicas promovido na Síria causou a morte de várias pessoas. A destruição na cidade não tem medidas. A tristeza e a desolação causadas na vida das pessoas é inacreditável.

Tudo começou em março de 2011, quando o levante contra o governo de Bashar al-Assad teve início. Os protestos pacíficos da Primavera Árabe foram tornando-se mais agressivos, a luta armada começou, desencadeando a guerra civil.

A Síria tem um único partido. Assad governa desde 2000 e usa a fome e a miséria para punir a população civil, que está descontente com sua opressão. A Rússia apóia o ditador sírio, e os EUA apoiam a oposição. Em meio a tudo isso, mais de 5 milhões de crianças tiveram suas vidas destruídas pela guerra. Há mais de 8 milhões de refugiados.

Crianças mortas. Pais chorando com seus filhos mortos em seus braços. Crianças soterradas nos bombardeios. Gases mortais. Bebês que perderam a vida. Crianças que nem sabem ainda que estão sozinhas no mundo.

Os governantes dos principais países poderiam, se quisessem, resolver esta situação. Mas não querem. EUA e Rússia também têm interesses econômicos. nada é feito por bondade ou misericórdia.

Talvez os países ricos tenham criado seus próprios inimigos terroristas, quando destroem vidas que não merecem, apenas porque elas estão no caminho de seu "progresso econômico".

Só é possível compreender o que motiva uma pessoa quando vivemos o que ela viveu. O ser humano é mau desde o princípio. Matar crianças não é terrorismo?

Sobrevivente com seus dois filhos mortos durante o ataque