Submarino

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

O vendedor de gravatas

Um homem caminhava, cansado e faminto, por um deserto escaldante. No meio do caminho, encontra uma barraca, onde encontrou um velho.
- Olá, senhor. Você tem água e comida aí, por gentileza?
- Não, mas eu tenho gravatas. Quer uma?
- Não, claro que não. Quero água e comida. Sabe onde posso encontrar?
- Sim. Caminhe mais uns dois quilômetros, e o senhor encontrará um ótimo restaurante.
O homem seguiu caminhando, quase se arrastando e morrendo de calor. Depois de dois quilômetros, finalmente avistou o restaurante. Chegou à porta, mas foi barrado por um garçom.
- Sinto muito, senhor, mas o senhor não pode entrar.
- Como não? Por quê?
- Porque aqui os homens só podem entrar usando gravata.

Moral da história: às vezes o que parece inútil hoje será vital amanhã.

Um comentário:

Marvin (Sérgio Rodrigues) disse...

Eu prefiro morrer de fome a usar gravatas