Submarino

sábado, 27 de fevereiro de 2016

#366Acordes - Acorde #58 - Versos Simples

#58 – 27/02/16 – “Versos simples”
Composição: Cassiane Silva / Richardson Maia
Interpretação: Chimarruts

Os oito integrantes do Chimarruts começaram a sua trajetória musical no ano de 2000, ainda apenas no Rio Grande do Sul. Em 2002, lançaram o primeiro CD, homônimo. O talento da banda chamou a atenção de grandes músicos, com quem já dividiram o palco, como Paralamas do Sucesso, Gilberto Gil, Lulu Santos, entre muitos outros. A banda cresceu no país, fazendo sucesso nas rádios e na televisão. Em 2003, lançaram o disco Somos todos um, e em 2005, o álbum Livres para Viajar. Foi neste CD que a banda lançou uma das canções mais famosas da sua carreira, que definiu a banda como um dos maiores grupos de reggae do Brasil na atualidade. Versos Simples torna-se grande pela simplicidade. Gravada apenas com violão e a voz marcante de Tati Portella, a letra é um dos mais belíssimos poemas que já escutei. Fala de alguém que se declara a quem ama, sente saudade, quer falar, mas faltam palavras, quer presentear, mas presente nenhum será grande para alguém que se ama. Então a pessoa trás seus versos, simples, mas de coração... Essa letra sempre me chamou a atenção, porque, à primeira vista, como disse, é uma declaração de amor, mas, analisando alguns versos (saudade já não sei se é a palavra certa para usar; não te trago ouro porque ele não entra no céu), lembra um poema feito para alguém que já morreu! 




Sabe, já faz tempo
Que eu queria te falar
Das coisas que trago no peito
Saudade, já não sei se é
A palavra certa para usar
Ainda lembro do seu jeito

Não te trago ouro
Porque ele não entra no céu
E nenhuma riqueza deste mundo
Não te trago flores
Porque elas secam e caem ao chão
Te trago os meus versos simples
Mas que fiz de coração...



(para você)

 



Um comentário:

Sérgio Rodrigues disse...

Dedico a você, também...