Submarino

domingo, 20 de julho de 2014

70 Anos da Operação 20 de Julho (Protocolo Valquíria)

Há exatos 70 anos atrás alguns militares de alta patente do Exército Alemão tentaram tirar a vida de Hitler. Havia uma reunião na Toca do Lobo, uma das fortalezas do Fuhrer, e o Cel. Von Claus Stauffenberg que juntamente com outros oficiais discordava das ideias de Hitler ofereceu-se para explodir o local.

Stauffenberg


O Cel. Stauffenberg foi enviado à reunião com o intuito de prestar informações sobre a situação de Berlim. Os demais oficiais que estavam envolvidos viram nisso uma oportunidade para dar fim a loucura do Fuhrer. Na mala do coronel havia uma bomba, que foi armada antes da reunião e colocada o mais próximo possível de Hitler. No decorrer da reunião, o coronel deveria sair da sala alegando atender a um telefonema, e a bomba explodiria.

A reunião foi transferida do bunker onde seria para uma sala aberta, devido ao calor que fazia naquele dia.
Stauffenberg colocou a mala em frente à mesa do Fuhrer, mas outro oficial a empurrou para baixo da mesa. Quando o coronel saiu e a explosão ocorreu, a mesa de carvalho defendeu Hitler, e as janelas abertas diminuíram o impacto da carga. O Fuhrer escapou da morte, ao contrário de outros presentes.

Hitler mostra a sala destruída a Mussolini


Os oficiais envolvidos tentaram tomar o controle da Alemanha utilizando um manual de protocolo autorizado pelo próprio Hitler, o Protocolo Valquíria, que orientava o Exército da Reserva nas ações que deveriam ser tomadas caso a Alemanha sofresse revoltas populares ou ataques, ou caso o Fuhrer morresse.

O atentado falhou, e consequentemente a tomada de poder também. Os “traidores” foram presos e eliminados. O general Friedrich Fromm também estava envolvido na conspiração, mas ao saber que Hitler estava vivo, entregou seus amigos à morte.

Após a execução dos oficiais, agentes de Hitler encontraram no cofre de Fromm uma lista com os nomes dos conspiradores e o cargo que cada um deles ocuparia no novo governo da Alemanha, o que bastou para que Hitler decretasse também a morte do general Fromm.


Uma tentativa que falhou, um grupo de homens que pagaram o preço, mas não puderam libertar a Alemanha, o que só ocorreu com a chegada dos russos em Berlim e dos demais aliados. 

Não podemos descrever um futuro alternativo, mas talvez a morte de Hitler serviria apenas para levantar outra tirania, satisfazendo apenas interesses particulares. De uma maneira ou outra, os oficiais que deram suas vidas por essa causa são hoje considerados heróis, e são os únicos militares desta época dos quais a Alemanha não se envergonha.

Um dos salões da Toca do Lobo

Sugestões interessantes para quem quer saber mais:


2 comentários:

Larissa Silva disse...

Excelente post! Parabéns Sérgio......

Sérgio Rodrigues disse...

Obrigado.