Submarino

terça-feira, 3 de maio de 2011

Jorge Amado, escritor brasileiro

Neste ano em que a primeira obra de Jorge Amado (O País do Carnaval) completa 80 anos, a crítica ainda continua atacando seus livros e chamando-o de populista.
Jorge Amado (1912-2001) escreveu seu primeiro livro aos dezoito anos. Publicou 45 obras, na maioria romances. Vendeu 20 milhões de exemplares no Brasil e foi traduzido em 55 países, onde vendeu aproximadamente 60 milhões de exemplares. Só é superado por Paulo Coelho.
O crítico Alcir Pécora afirma que “Jorge Amado adotou uma fórmula populista, criando uma imagem de Brasil mulato onde as relações se resolvem por meio da ginga, mas que no fundo mascara todas as contradições da realidade”.
Eu não li Jorge Amado, não tenho interesse em ler. Mas uma coisa eu afirmo: Tudo no Brasil (e não só as relações) se resolve por meio da ginga, do “jeitinho”... Se ele criou uma imagem de Brasil mulato, com gingado malandro, não descreveu nada mais que a realidade deste miserável país em que vivemos, que se orgulha de seu jeito malandro de ser, e não percebe que é este seu jeito malandro que destrói sua moral e mina seu respeito e confiança.

(Marvin)

Um comentário:

Meias de Seda (Suzy) disse...

Meu amigo, sobre o "jeitinho brasileiro", temos um documentário interessante que aborda o assunto postado lá no blog ("Raízes do Brasil", do antropólogo Sérgio Buarque de Hollanda). Não sei se você já assistiu.
Enfim, populista ou não, ainda prefiro Jorge Amado a Paulo Coelho.
Um abraço ;)