Submarino

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Preconceito

Nos dias atuais fala-se tanto em luta contra o preconceito, luta contra o racismo, contra a falta de tolerância. Em todos os lugares vemos manifestações e protestos contra a homofobia, a mídia tenta fazer com que possamos aprender a valorizar as diferenças, as raças, as cores, as escolhas sexuais. Até alunos preguiçosos não podem mais ser chamados de preguiçosos... agora são portadores de déficit de atenção ou hiperatividade...
Mas há um tipo de preconceito que não está sendo combatido em lugar nenhum e, ao contrário, está sendo incentivado nas empresas, nos bancos, nas lojas, nas igrejas. Sim, até nas igrejas: é o preconceito que diz respeito ao poder aquisitivo, à classe social, ao lado financeiro do ser humano.

Exemplo? Se você é um trabalhador e tem uma simples conta salário num banco, sem limite de cheque especial, sem grandes investimentos, e vai ao banco pedir um favor que está "fora do cardápio" do atendimento, não recebe este favor. mas se você tem uma conta recheada, com algum investimento ou aplicação na casa dos milhares, você pode sentar na frente do atendente e esquecer-se da vida e de quem está esperando a vez. Pode contar de sua vida, do seu cachorro, dos seus planos, da sua fazenda, da sua chácara, da sua mulher, da sua vontade de morar fora do país, pode pedir ao atendente que vá ao caixa por você pagar suas contas enquanto você fica ocupando a mesa e tomando café, que ninguém vai reclamar... porque você é VIP.

Seu saldo manda. Seu extrato impressiona. E esta é a orientação em todo lugar. O tratamento recebido por um rico em uma loja é diferente do tratamento dispensado a um pobre. O pastor na igreja trata melhor quem vai dar um dízimo "mais gordo". ISSO É PRECONCEITO. Mas é um preconceito incentivado no mundo capitalista onde vivemos. Mesmo que você não concorde, será forçado a isso se você trabalha em alguma instituição com clientes "importantes". 

Tanta gente boa e sem dinheiro. Tanta gente interessante e sem recursos. E tantos idiotas com um saldo bancário impressionante, sendo valorizados pelo que tem na carteira. Triste realidade.

"ALGUMAS PESSOAS SÃO TÃO POBRES QUE NÃO TÊM NADA ALÉM DE DINHEIRO".

Nenhum comentário: