Submarino

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A teoria de viagem no tempo segundo O Prisioneiro de Azkaban

Viajar no tempo é o plot favorito dos diretores e roteiristas de Hollywood, e de muitos escritores de ficção e fantasia. Ate o momento, impossível de ser realizada, já que os cientistas conseguiram provar que a nossa ultima esperança em viagem no tempo, as partículas chamadas fótons, não conseguem viajar mais rápido do que a velocidade da luz. Assim, a falta de regras científicas abre um leque de possibilidade e teorias para ficção científica e fantasia. No entanto, existe uma teoria de viagem no tempo que me chama muita atenção, e espero poder desenvolvê-la com clareza aqui.
Caso fosse possível na realidade, a viagem no tempo implicaria num dilema moral e ético: seria possível mudar o tempo? A teoria esboçada no livro “Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban” explica com maestria a possibilidade de voltar no tempo e a maneira de lidar com esse “poder”.
Hermione consegue, graças à sua reputação, um vira-tempo, o objeto necessário para andar pelo tempo. Na verdade, não se explica se o vira-tempo permite apenas ir para o passado ou se permite também ir para o futuro, mas subentende-se, lendo toda a série, que se permita apenas a volta no tempo. Com esse artefato mágico, Hermione consegue cursar todas as matérias de Hogwarts no 3° ano, podendo, assim, assistir mais de uma aula ao mesmo tempo. O que ocorre, no final do livro, é que Harry descobre que Sirius Black, o prisioneiro de Azkaban, na verdade era inocente, e será punido de maneira irreversível. Para salvá-lo, Dumbledore “pede” a Hermione para ela e Harry voltarem no tempo, assim poderão salvar Bicuço, o hipogrifo de Hagrid que fora “executado” horas antes, e, com Bicuço, Black pode fugir para longe e escapar dos dementadores. Quando Hermione explica a Harry como funciona o vira-tempo, ela deixa bem claro ao colega que eles sob hipótese alguma podem ser vistos, além disso, sob hipótese alguma devem mudar o tempo.
Assim, Hermione e Harry conseguem salvar Bicuço e Black, sem infringir as regas de uso do vira tempo. A estratégia de usar um meio físico, o vira tempo, para poder andar pelo tempo, mesmo para pessoas com poderes especiais, como os bruxos do universo de Harry Potter, confere mais realismo a esse poder. J.K. Rowling sempre fez questão de mostrar que seu universo e passível de limites e regras, que são observadas com rigor e punidas com veemência quando desobedecidas. Não existe total liberdade para bruxos, eles não comandam a vida e a natureza como se fossem deuses, eles estão sujeitos a elas. Além do vira-tempo, os bruxos precisam saber que o tempo não pode ser mudado. Hermione fala a Harry sobre coisas terríveis que aconteceram a bruxos que tentaram mexer com o passado. “Montes deles acabaram matando os eus passados ou futuros por engano”, diz ela a Harry. Isso significa um tropeço na vida normal, imagine destruir seu eu de antes, e ai, você nunca nasceu, você nunca existiu? É uma falha no programa. É aí que eu quero chegar.
Discussões sobre viagens no tempo renderam e rendem muitas teorias, baseadas principalmente em filmes Cult, como De volta para o futuro ou O Exterminador do futuro. Não vou entrar nas teorias desses filmes, até porque muitas delas convergem sempre para um único lugar, ligeiramente preocupante: o futuro já está escrito.
Em certo momento do livro, Harry, cercado por dementadores, vê que algo ou alguém consegue conjurar um patrono, o feitiço que protege contra os dementadores, e esse patrono mantém a salvo ele, Hermione e Sirius Black. Harry, antes de voltar no tempo, teve certeza de que fora Tiago, seu pai, já falecido, que conjurara o patrono, no entanto, ao voltar no tempo, Harry descobre que ele próprio, Harry, havia executado o feitiço. Ele vira ele mesmo. Hermione insiste com Harry que o passado não pode ser alterado, quando o garoto intenciona fugir para capturar rabicho, o verdadeiro vilão. MAS O PASSADO FOI MUDADO, ELES SALVARAM BICUÇO! Na verdade, eles não viram Bicuço ser morto, eles apenas ouviram o barulho do machado e o choro de Hagrid. De fato, ao ver que o bicho havia fugido, o carrasco Macnair ficou louco de raiva e brandiu a arma contra o nada. E Hagrid chorou... de felicidade. Da mesma forma, Harry, cercado de dementadores viu ele próprio executar o feitiço do patrono. Se o Harry que voltou não estivesse lá, os dementadores teriam atacado ele, Hermione e Black. Isso significa que esta volta ao passado já estava programada. Mas e se Harry e Hermione não voltassem? Os dementadores teriam pego os garotos. Isso implicaria numa mudança da história, numa mudança do programa. Pode-se concluir, observando a teoria esboçada o terceiro livro da serie HP, que o futuro é predeterminado, e qualquer tentativa de mudança nele acarreta uma mudança terrível na história, uma curva fora da reta, uma falha de sistema.
Vamos, entretanto, sair da ficção e vir para a realidade. A partir de agora, não falo como uma teórica da conspiração, ou uma fã de ficção científica ou fantasia. Esboço minhas próprias teorias segundo minhas crenças pessoais. É apenas uma teoria que defendo aqui, mais uma entre as muitas que tentam explicar quem somo e para onde vamos. Acredito que existe um ser supremo, um Deus, um GRANDE ARQUITETO DO UNIVERSO, chame do que quiser. esse Deus é perfeito, em minha crença. As coisas que ele faz são perfeitas. No entanto, ele, por algum motivo, permitiu a vida nesse planeta. Minhas crenças me fazem acreditar que ele nos dotou de livre arbítrio, Ele nos permitiu viver nossa vida da maneira que acharmos melhor. Não tenho duvidas disso, e somente Ele próprio poderá me mostrar se é diferente ou não. A maior prova do livre arbítrio do ser humano é essa droga de mundo onde vivemos. Crianças morrem, pessoas perecem de maneiras horríveis, injustiças e atrocidades pululam por todo lado. No entanto, a mesma crença me leva ao “fato” de que Ele é onipotente e onipresente, Ele tudo sabe e tudo vê, Ele está em todo lugar. Ele sabe da sua decisão. Mesmo dotando de livre arbítrio o ser humano, Ele permitiria que tais atrocidades acontecessem?
O ser humano não tem envergadura para entender a lógica de Deus. Qualquer tentativa de fazer isso é apenas tentativa. Somos gota de água sem conseguir perceber a imensidão do oceano, que e Ele. Nessa minha tentativa, digo que Deus não permitiu nem permitirá nada porque o tempo dEle é diferente do nosso. Tudo já aconteceu. Toda nossa vida, tudo que existe, tudo que aconteceu e acontecerá, toda criação dEle já aconteceu, no mesmo momento. Ou seja, o livre arbítrio existe, mas Ele sabe tudo porque ele já VIU tudo. Tudo já aconteceu, no tempo dEle, e agora vivemos o nosso, como nossos antepassados viveram o dele e nossos filhos viverão os seus. Se alguém voltar no tempo, não mudará nada simplesmente porque aquilo já aconteceu, aquilo que ela fizer ou não fizer já estará no programa. Por isso, Harry vira o Harry que voltara no tempo, o Harry que “mexeu” no passado e salvou sua própria vida, a de Black e de Hermione. Qualquer erro que ocorra já está programado, porque já ocorreu. Ele sabe tudo, mas ele não interfere em nada. O nosso tempo é diferente, assim nos parece que Ele não se preocupa conosco, às vezes... as coisas não entram em nossa cabeça, e nunca entraram, porque Sua realidade é diferente da nossa.
Tudo isso depende de uma crença, de uma espiritualidade. Creio que Ele pode tudo, e por isso mesmo criou a natureza e seus mecanismos, tudo isso é a manifestação dEle para nós, criaturas pequenas demais para entender Sua magnificência. Se os fótons não podem ser mais rápidos do que a luz, foi a manifestação dEle para nos mostrar que não pode haver viagem no tempo, porque ele não pode ser mudado. Se for mudado, a mudança já estava marcada, já havia acontecido, então não mudou nada. É, é complicado, eu sei. Espero que pelo menos alguém possa ter entendido algo, e que seja útil para tentarmos ter alguma luz sobre questões que nos fogem do controle, independente de sua crença. Para mim, a única maneira de andar pelo tempo é sob autorização dEle. Seriamos uma espécie de telespectador, vendo um filme. Seria assim que Ele teria se manifestado aos profetas, bíblicos ou não, a Moisés, para escrever a Torá, com seu código camuflado. Sim, existe um código na Bíblia, isso é fato, e não estou drogada. Mas isso já é outra história.    

2 comentários:

larissa disse...

Eu concordo quanto a teoria do viratempo, eu acho que os eventos tanto do presente quanto a volta ao passado estavam acontecendo simultaneamente. Sei lá kkkk eu acho q é isso.

Anônimo disse...

Seu texto trouxe luz a algumas dúvidas quanto ao uso do Vira-Tempo na ficção HP, que não encontrei em outros sites.

Quanto à seu teoria sobre o tempo, concordo quase inteiramente. Passado, presente e futuro já aconteceram para Deus.